A igreja é mais do que uma agremiação recreativa

Dizer que os tempos são outros é perda de tempo. Já sabemos disso. Alias, a filosofia popular diz que ao dobrar a esquina você já não é mais o mesmo.
Nessa mudança de tempos, a igreja também mudou e vai mudando ainda que as pessoas continuem negando isso. Se você é “antigo” de igreja acho que já deu para perceber isso. Os mais novos na fé não tem a referência que você tem, por isso, não adianta nada puxar pelo passado. Já era.
Dizem os entendidos que as pessoas de hoje querem comunhão, relacionamentos. E mais, a igreja deve ser esse espaço.
Creio que ninguém questiona isso. A igreja é mesmo um centro de convivência amorosa de pessoas que tem em comum o senhorio de Cristo.
Agora a igreja é mais do que isso. Ela não deve limitar-se a ser um grêmio cultural ou um clube recreativo. Se alguém procura uma igreja apenas e tão somente por causa dos relacionamentos, é melhor filiar-se ao um clube da cidade. É mais barato (pressupondo que a pessoa seria dizimista).
A igreja que tenta se sustentar apenas em eventos para entreter os seus vai aos poucos perdendo sua essência ainda que continue sendo atrativa por causa da comunhão entre seus membros.
ACBarro