Estilo de vida

Sempre preciso, John Stott vai na jugular quando afirma:

“Todos os cristãos dizem ter recebido de Jesus Cristo uma nova vida. Mas qual o estilo de vida certo?”

É meu caro Stott é ai que a coisa pega para todos nós. O contexto do evangelho no N.T. é tão distante do nosso como a Terra é do sol. São duas realidades tão distintas que as coisas não batem, não dão liga.

A maioria de nós vive então na esquizofrenia possível. Lemos, entendemos e pregamos tudo o que diz o N.T., e ao mesmo tempo sublimamos tudo. Ou é isso ou é aquilo.

O que você pensa do estilo de vida dos cristãos?

Coisas do cristianismo antigo e moderno

Espiritualidade sem o Espírito
Biblistas sem a Bíblia
Amor sem as boas obras
Boas obras sem a fé
Fiéis sem igreja
Igrejas sem o evangelho
Pregadores sem graça
Graça sem perdão
União sem unidade
Comunhão sem solidariedade
Missão sem conversão
Conversão sem razão
Cristo sem discípulos
Deus sem seguidores
Santidade sem piedade
Palavras sem conceito
Exorcismo sem diabo
Futuro sem presente
Cruz sem sacrifício
Ressurreição sem porvir
Esperança sem luta

ACBarro

Eu estou OK, você está OK

No mundo cientista, o sinal do fundamentalismo, de acordo com Stephen Larsen, é determinado por idéias simplistas defendidas com grande convicção emocional e oferecidas como a única maneira de ver o universo. No passado, outro autor afirmou: Eu estou OK, você está OK; todavia, o fundamentalista diz: Eu estou OK, você não está OK.
No mundo evangélico brasileiro esta é a atitude da maioria absoluta dos nossos líderes e seus liderados. Impressiona ver como nossas igrejas (denominações) tem a capacidade de ver as outras igrejas (denominações) como não sendo OK. Se a nossa igreja está OK, a sua igreja não pode estar OK. Não é possível que duas igrejas ou duas denominações estejam OK. Isso seria uma grande paradoxo na mentalidade dos nossos grandes líderes.
Esse fundamentalismo é disfarçado e chamado de pureza do evangelho. Nossa igreja está no mundo para defender a sagrada doutrina que as outras igrejas estragam ou não entendem. Assim sendo, a missão de muitos crentes passa a ser a missão de angariar mais adeptos para sua igreja. A questão do reino de Deus passa longe dessa prática.
Sei que essa situação não vai melhorar. Na verdade vai piorar cada vez mais.
A única esperança é que você não seja assim. Você que é um fervoroso(a) peregrino do reino de Deus nesse mundo está acima desse besteirol evangélico moderno. Você está OK e outro está OK. Você está na trilha do Calvário e o outro também. Você ama o evangelho e outro também.
Vamos em frente. A caravana passa…

ACB

Enquanto não chegar o dia…

Que a graça e paz de Jesus, o Retirante estejam em seus corações, dando-lhes paz nas horas mais sofridas da jornada.

Há momentos, muitos na verdade, em que em nossa jornada rumo ao Reino vamos nos deparando com situações difíceis, algumas causadas por nós e outras tantas causadas por outros. Sofremos… sofremos pelos nossos pecados e pelos pecados contra nós. Assim foi com homens e mulheres do passado; assim será conosco e com quantos virão depois de nós.

O nosso consolo é que o Deus da consolação também está presente nessa jornada. Atento. Vigilante. Ele vê quando estamos à beira do abismo e vem ao nosso encontro. Não desanimar. Não deixar de fazer o bem (ouça a musica abaixo). Há os que vão tirar vantagem da nossa fé infantil e crédula. E dai? Qual o problema?

Fazer o bem (clique aqui)

Há muitas vezes raiva dentro da gente. Raiva da injustiça, da miséria ao redor, da falta de compromisso. Raiva de nós mesmos por não sermos mais isso ou mais aquilo. Raiva da cobrança justa e injusta que fazem de nós. Raiva da igreja caduca, colorida como um camelão que pulala sem nada produzir. Ouça a canção abaixo.

Clique aqui para ouvir

Finalmente, haverá de ter um dia um lugar Santo Lugar onde o inimigo ausente estará. Nesse dia o Reino estará consumado. O inimigo vencido. O Cordeiro que foi morto, mas vivo está, estará sentado no Trono. Nós o adoraremos para sempre.

Santo Lugar (clique para ouvir)

Enquanto esse dia não chegar,não nos cansemos de fazer o bem.

ACB

Ainda sobre o Gondim

Recentemente causou grande comoção no arraial evangélico (permita-me dizer que chamar de evangélico – na acepção da palavra – esse arraial é pecado desmedido) a entrevista do pastor Ricardo Gondim. Ele verbalizou alguns pensamentos e o que mais causou consternação foi a resposta a pergunta: “O senhor é a favor da união civil entre homossexuais?” A resposta do pastor foi curta: “Sou a favor”.
Pronto! O caldo entornou. Isso me lembra a famosa música do Teixeirinha:

“Me perguntaram se eu sou gaúcho
Está na cara, repare o meu jeito
Eu sou gaúcho lá de Passo Fundo
E trato todo mundo, com muito respeito
Mas se alguém me pisar no pala
Meu revólver fala
E o bochincho tá feito”.

Gondim não é gaucho, mas perguntaram e a boca (não o revolver, naturalmente) falou. O bochincho está feito. O tema é nevrálgico. Os religiosos tem um histórico de ódio a todos os homossexuais ainda que digam que amam o pecador e odeiam o pecado. Isso na prática não ocorre. Raras são as comunidades que aceitam alguém em seu meio e que continua praticando a homossexualidade. A igreja aceita quem está praticando o roubo, a opressão, o poder desmedido, a violência, o abuso doméstico. O pastor sabe que na sua igreja tem um empresário que não registra seus funcionários, sabe que tem famílias que pagam uma miséria para a empregada doméstica. Mas esses são pecados tolerados. Pode-se fazer isso e freqüentar a igreja.
Os homossexuais saíram do armário. Se eles saíram do armário eles vão parar em algum lugar. Um provável lugar pode ser a igreja. Pode e eu diria, deve. Deve porque a igreja precisa ter essas pessoas em seu meio. Precisa porque por muitos anos, décadas, séculos a igreja prega que o evangelho é amor, é graça, é perdão, é paz, etc. Ela convida os pecadores para o seu meio. Ela abre as portas para o culto e todos podem entrar. Um famoso hino diz:

“Eu venho como estou!
Eu venho como estou!
Porque Jesus por mim morreu,
Eu venho como estou!”

E ai o sujeito acredita nisso e vem como está. A igreja não está preparada para isso e começa uma cruzada para transformar a pessoa. Se essa transformação ocorrer rapidamente, segue-se o batismo e inclusão na comunidade. Em não havendo a tão esperada transformação segue-se um processo de “fritura”, torcendo para que o infeliz deixe o arraial por conta própria. O erro da igreja é que ela pensa que pode influir na transformação de alguém. A igreja trabalha com o tempo cronológico (já está na igreja há um ano e deveria ter parado de fumar). A igreja deveria trabalhar com o tempo kairológico (Já está na igreja, está muito bom, louvado seja Deus e no devido tempo a graça há de permear a vida dessa pessoa).

Eu creio que a igreja não tem essa capacidade. Dizendo melhor, são poucas as comunidades praticando o kairós de Deus.

Voltando a resposta do Gondim: “Sou a favor”.

Ele, como brasileiro, tem o direito de pensar o que ele quer pensar. A constituição lhe garante esse direito. Agora, se você não concorda com ele, também é direito seu. Você pode pensar diferente, crer diferente e agir diferente. Isso não tem nenhum problema. Você tem apenas que seguir certo protocolo, ou seja, ao discordar do pensamento dele que você não o odeie como pessoa. Que você não o elimine do arraial. Que você não o demonize. Ele é irmão em Cristo. O diálogo no campo das idéias nos faz crescer.

O grande dilema que eu vejo é que o evangélico pensa muito pouco. Ele discorda de algo a partir das suas emoções ou a partir da tradição da sua igreja. Ele mesmo não pesquisa, não estuda, não se informa. Discorda porque tem que discordar. Para piorar a liderança eclesiástica também é falha e ensina pouco para a sua comunidade. Nunca vi um tempo tão raso em relação ao estudo como esse que estamos vivendo. Pastores batem pernas o dia todo e não gastam nem meia hora para preparar o sermão de domingo. O último livro que leu foi no século passado.

Você discorda do Gondim? Apresente suas razões. Mostre seus argumentos. Cite teólogos. Demonstre sua capacidade de articulador bíblico. Se você não quer ou não pode fazer isso, fique quieto.

Outra coisa ainda. Não aceito a censura. Já vencemos essa fase em nossa pátria. O pensador em tela pode falar aquilo que entende como o correto para ele hoje (ele pode pensar diferente amanhã). Ele pensando assim modifica o seu pensamento? Ele atrapalha o seu ministério? Ele confunde as suas ovelhas? Se a resposta é sim, o problema não é dele, mas seu. Essa coisa de dizer que ele está desviando as ovelhas é balela. As únicas ovelhas que o Gondim pode desviar são as dele, se ele desviar as suas é porque você é fraco no ensino. Só isso.

Eu tenho o seguinte lema: “Se alguém me convencer de alguma coisa, eu mereço”. Se eu ouvir uma palestra onde é afirmado que Jesus e Buda são irmãos e eu sair dali e pregar isso, eu mereço. Se meus ouvintes aceitarem, ele merecem.

Outra coisa é a frase: “Fui eleito o herege da vez”. Achei um exagero. Quando a li, pensei. Comparado com quem? Quem foram os hereges de ontem? O nome que veio à mente foi Martinho Lutero. Não creio ser o caso.

Viva a sua vida, viva o seu ministério. Uma coisa o Gondim não o é: covarde. Como vocês sabem os covardes não vão herdar o reino de Deus. Assim sendo, ele estará na eternidade e você caso chegue por lá, terá que conviver com ele.

“Pensa em tudo o que crê. Porque a fé, se não se pensa no que crê, é nula.” Santo Agostinho

Antonio Carlos Barro

Você consegue…

Passar um dia sem lamentar?
Passar um dia sem caluniar?
Passar um dia sem criticar?
Passar um dia sem pensar mal de alguém?
Passar um dia sem ferir o outro?
Passar um dia sem comentar sobre a vida alheia?
Passar um dia sem usar um “mas” depois de um elogio?
Passar um dia sem querer tirar vantagem em tudo?
Passar um dia sem pensar somente nos seus interesses?

Tente. A vida vai melhorar.

Antonio Carlos Barro

Todos os dias serei salvo

“Cura-me Senhor, e serei curado, salva-me, e serei salvo; porque tu és o meu louvor” Jr. 17.14
São muitos os momentos em nossas vidas que achamos que já chegamos ao fim da estrada. Por todos os lados em que olhamos não conseguimos encontrar nenhuma saída, nenhuma porta de escape. São situações que levam qualquer um ao desespero e muitos sofrimentos.
A Palavra de Deus tem um ensino precioso para estas horas. Ela ensina a buscar em Deus, que é a nossa fonte de consolo e abrigo, uma restauração completa do nosso ser.
Cura-me Senhor e serei curado. Uma oração simples, que reflete um desejo profundo de ter todas as faculdades e todos o membros do corpo curados. Deus vem ao nosso encontro com o óleo santo e cura as nossas feridas. As feridas da alma, tais como inveja, ódio, falsidade, rancor, mágoas, desilusões e as muitas tristezas que invadem o coração. Peça que o Senhor o cure daqueles sentimentos que estão perturbando a sua vida e lhe restaure completamente.
Salva-me, e serei salvo. Um grito de esperança no meio das trevas. Um grito pedindo socorro, porque tudo o que podia ser feito já foi tentado e a salvação ainda não ocorreu. Agora, o ser humano volta-se para Deus como a última esperança, o único que pode socorrer nos momentos mais trágicos da vida.
Busque a Deus ainda hoje e entregue a ele os problemas da sua vida e você será salvo (a).

Antonio Carlos Barro