Jonas, o cara não é fraco não!

Jonas, o profeta, talvez tenha ficado famoso por causa da baleia. Sem ela, quem saberia de Jonas? Mas, Jonas também é famoso pelo diálogo com Deus ao final do livro que leva seu nome. O sujeito está irado porque Deus resolveu ser compassivo e bom para com os miseráveis ninivitas. A ira de Jonas estava além do limite suportável. Veja o verso quatro em várias versões:

(Julgas que) tens razão para te afligires assim?
Fica-te bem a tua ira?
Você tem alguma razão para essa fúria?
É razoável essa tua ira?
Fazes bem que assim te ires?

A palavra usada para ira tem o sentido de fúria, raivoso, algo que está sendo queimado. O sentido do verso seria algo como: É agradável para você sentir tanta raiva? ou, faz algum bem para você se deixar queimar pelo que aconteceu?
Jonas é o espelho que miramos a nós mesmos.
Somos assim mesmo. Egoístas ao extremo e não podemos ver alguém se saindo bem ou sendo feliz que já começamos a questionar Deus. E eu? Ou então, ficamos alegres quando alguém se lasca todinho. Bem feito, pensamos.
Nesse capítulo a raiva de Jonas é tanta que ele pede para morrer. Duas vezes.
Deixe que Deus faça o bem a quem quer que seja, mesmo que essas pessoas sejam seus “adversários”. Deus sabe que a maldade é vencida com a bondade e não o contrário.
Sei lá… vá pensando ai. É razoável essa tua ira?
Toca o barco – O vento sopra.

ACBarro
www.ejesus.com.br

Jonas, o chefe de Deus

Tem certas perguntas na Bíblia que não são fáceis de serem respondidas. Esta que Deus faz a Jonas é uma delas:
E não hei de eu ter compaixão da grande cidade de Nínive em que estão mais de cento e vinte mil homens que não sabem discernir entre a sua mão direita e a sua mão esquerda, e também muitos animais?

Jonas é um controlador. Ela controla sua própria vida e quer também controlar Deus.
Jonas é um justiceiro. Ele sabe o que é justo e discorda da justiça de Deus.
Jonas é preconceituoso. Ele sabe quem é bom e discorda da não acepção de pessoas de Deus.
Jonas é impiedoso. Ele sabe que merece ser salvo e discorda do projeto salvador de Deus.

Então, finalmente, Deus lhe pergunta: Jonas, posso amar quem eu quero? Posso perdoar quem eu quero? Posso ter misericórdia de quem eu quero?

Para mim, o mais interessante de tudo isso é que Deus não deu chance ou não teve paciência de ouvir a resposta do profeta. O livro termina com a pergunta e a resposta fica no ar e está no ar até hoje.

Jonas é o nosso espelho. Ele representa a todos nós. Representa nossas igrejas, nossos pastores, nossos líderes, nossos comitês missionários, representa aquela mulher “piedosa” que fiscaliza a todos, aquele jovem mais crente que os outros jovens, aquela pessoa que fica entregando os crentes pecaminosos para o pastor. Ele representa a nossa inútil pretensão de colocar Deus numa jaula e domesticá-lo de acordo com os nossos pareceres.

A igreja de hoje pode se preparar porque vai aparecer muita gente, mas muita gente mesmo para ela amar. O que tem de ninivita para ser salvo não é brincadeira. Vamos ver como os nossos Jonas e nossas Joanas vão se comportar. Como vão responder a milenar perguntinha: Posso amar quem eu quero amar?

ACB

Quando o fundo do poço faz bem

De todas as orações na Bíblia, a mais tocante e mais bonita, para mim, é a oração de Jonas. Jonas pode ser chamado de qualquer coisa e certamente ele merece todas elas, todavia, inconsequente ele não o é. Ele sabe que somente Deus pode fazer algo por ele e nessa direção ele procede. Essa oração deveria ser estudada por todos nós, pois todos nós precisamos orar como Jonas.
Jonas nos ensina que a oração pode ser feita em qualquer hora e de qualquer lugar. Diz o texto que ele orou ao Senhor, seu Deus. Ele confessou seus medos, suas angustias e seus pecados. Ele reconheceu a soberania de Deus – a salvação é do Senhor e ele pode ofertá-la a quem bem entender. Ele orou porque sabia que Deus estava ouvindo.
Há um autor que diz ser Jonas o espelho da nossa alma. É verdade. Quando eu leio Jonas eu sou ele. Para dizer francamente, eu sou mais do que Jonas. Teria eu coragem de registrar os meus fracassos, dizer que eu desobedeço sempre, que eu também não evangelizo, que duvido que alguém irá se converter? Também quero controlar quem Deus deve ou não deve salvar. A minha igreja é novo Israel, pois a salvação é somente dentro dela. Fora da minha igreja (Israel) não há salvação.
Não quero terminar essa devocional… Jonas vive em mim.

Antonio Carlos Barro