A vida como ela deveria ser…

Meu elevador para no térreo, abro a porta e entra um senhora de descendência japonesa. Ela entra e percebo que não mora em nosso prédio. Aperta a cobertura. Estranho porque são 15 horas e nessa hora não tem nada acontecendo lá em cima.
– A senhora vai na cobertura mesmo?
– Vou.
– Está tendo alguma festa lá em cima?
– Não, vai ter aula de dança?
– Dança?
– Sim.
– E senhora vai fazer a aula?
– Não, sou a professora.
[silêncio]
Chego no meu andar.
– Desculpe perguntar, mas quantos anos a senhora tem?
– 86
– 86? E é professora de dança?
– Sim.
– Deus abençoe a senhora.
– Amém.

Estilo de vida

Sempre preciso, John Stott vai na jugular quando afirma:

“Todos os cristãos dizem ter recebido de Jesus Cristo uma nova vida. Mas qual o estilo de vida certo?”

É meu caro Stott é ai que a coisa pega para todos nós. O contexto do evangelho no N.T. é tão distante do nosso como a Terra é do sol. São duas realidades tão distintas que as coisas não batem, não dão liga.

A maioria de nós vive então na esquizofrenia possível. Lemos, entendemos e pregamos tudo o que diz o N.T., e ao mesmo tempo sublimamos tudo. Ou é isso ou é aquilo.

O que você pensa do estilo de vida dos cristãos?

Coisas do cristianismo antigo e moderno

Espiritualidade sem o Espírito
Biblistas sem a Bíblia
Amor sem as boas obras
Boas obras sem a fé
Fiéis sem igreja
Igrejas sem o evangelho
Pregadores sem graça
Graça sem perdão
União sem unidade
Comunhão sem solidariedade
Missão sem conversão
Conversão sem razão
Cristo sem discípulos
Deus sem seguidores
Santidade sem piedade
Palavras sem conceito
Exorcismo sem diabo
Futuro sem presente
Cruz sem sacrifício
Ressurreição sem porvir
Esperança sem luta

ACBarro

Paciência e sabedoria

A paciência, disse Santo Agostinho, é a companheira da sabedoria.
Pensando assim devemos buscar mais a paciência porque a sabedoria será uma consequência natural. O problema é um só: não temos e não queremos ter paciência. Vejo isso em minha vida. Parece que tudo tem que ser para agora, nesse momento. Uma carta que não vem, um e-mail que não é respondido, uma lição que o estudante não aprende, uma promessa que não foi ainda cumprida. Tudo isso vai tirando a minha paciência.
Não é de se admirar que eu não seja sábio.
Preciso aprender a viver contente em toda e qualquer situação, como ensinou o Apóstolo Paulo. Esse ensino certamente foi fruto de sua paciência em meio da tantas adversidades e tribulações.
É isso ai.

AC

Pessoas portadoras de necessidades especiais

A linguagem ou o nosso linguajar vai mudando com os tempos. Ainda bem…
Num passado não tão distante usava-se expressões como aleijado, cego, surdo, deficiente físico, cadeirantes, etc. Hoje usa-se o termo que está no título acima. Melhor. Dignifica o ser humano, mas ainda continua fazendo distinção entre nós que não somos portadores de nenhuma necessidade especial e eles.
“Elas ou elas” são facilmente reconhecíveis. As deficiências dessas pessoas são facilmente dectetadas. Não tem como esconder.
As nossas necessidades especiais, ou seja, as nossas deficiências tentamos de todas as formas possíveis e imagináveis camuflar. Eu mesmo sou mestre em esconder meus defeitos. Até mesmo quando alguém insiste em perguntar os nossos pontos fracos, fazemos de tudo para mostrar os fortes: sou muito exigente, meu defeito é ser perfeccionista, o meu ponto fraco é que não sei descansar. Ou seja…
A única coisa boa em tudo isso é que Deus já sabendo das nossas lorotas nos ama mesmo assim. Nos ama porque afinal somos todos pessoas portadoras de necessidades especiais.
ACB

Você consegue…

Passar um dia sem lamentar?
Passar um dia sem caluniar?
Passar um dia sem criticar?
Passar um dia sem pensar mal de alguém?
Passar um dia sem ferir o outro?
Passar um dia sem comentar sobre a vida alheia?
Passar um dia sem usar um “mas” depois de um elogio?
Passar um dia sem querer tirar vantagem em tudo?
Passar um dia sem pensar somente nos seus interesses?

Tente. A vida vai melhorar.

Antonio Carlos Barro

Enfrentando Tempestades na Vida

Diversos tornados rasgaram caminho através da nossa comunidade recentemente. Ninguém morreu, mas várias residências foram severamente danificadas, muitas por árvores que foram arrancadas pelas raízes e lançadas contra as casas. Isso me lembrou o comentário de um empresário japonês após observar as consequências da passagem de um furacão. Ele disse que inúmeras belas árvores tinham sido arrancadas e espalhadas como se fossem ervas. Outras, porém, imponentes, tinham permanecido de pé, sem ser afetadas pela tormenta. Ele notou uma diferença: as árvores derrubadas possuíam raízes superficiais. Quando a chuva e os ventos chegaram, caíram com relativa facilidade.

Os que labutam no turbulento mundo empresarial e profissional sabem que o mercado global tem experimentado mudanças violetas e frequentemente inesperadas. Muitas organizações não sobrevivem a essas tempestades de incertezas. E como será que como indivíduos ou corporações fazemos para resistir aos ventos de mudança? Como evitar ser desarraigado e lançado à distância para perecer?

A chave é um sólido e resistente sistema de raízes. Corporativamente falando isso abrange um vigoroso sentido de missão. Em essência, “Por que estamos aqui e o que estamos fazendo?” Igualmente importantes são os valores que abraçamos. Isso responde à questão: “De que forma fazemos o que nos propomos fazer?” Em outras palavras, quais as questões éticas inegociáveis? Quais os padrões com os quais nunca transigiremos, não importa a circunstância?

Outra parte importante do sistema de raízes é a visão: onde estamos e para onde caminharemos? Como afirma Provérbios 29.18, “Onde não há visão, o povo perece…”. Podemos adotar os valores da cultura que nos rodeia; podemos escolher nossa missão entre inúmeras fontes; nossa visão pode assumir diversas formas. Porém, mesmo no século XXI, um sistema de raízes é incomparável: a Palavra de Deus. Eis algumas sugestões:

Fundamento sólido permanece vigoroso. Falando a Seus seguidores Jesus Cristo apresentou a analogia de uma construção. “Quem ouve esses Meus ensinamentos e vive de acordo com eles é como um homem sábio que construiu a sua casa na rocha. Caiu a chuva, vieram as enchentes, e o vento soprou com força contra aquela casa. Porém ela não caiu porque havia sido construída na rocha” (Mateus 7.24-25).

Fundamento instável desmorona rapidamente. Jesus avisou sobre a tolice de saber o que é certo e não colocá-lo em prática. “Mas quem ouve esses Meus ensinamentos e não vive de acordo com eles é como um homem sem juízo que construiu a sua casa na areia. Caiu a chuva, vieram as enchentes, e o vento soprou com força contra aquela casa. Ela caiu e ficou totalmente destruída” (Mateus 7.26-27).

Fundamento eterno enfrenta qualquer tempestade. O mais seguro sistema de raízes, a Bíblia, declara que o segredo é estar firmado em crescente relacionamento com Deus através de Jesus Cristo. Ele estabelece nossa missão, define os valores e torna clara a visão. “Portanto, já que vocês aceitaram Jesus Cristo como Senhor, vivam unidos com Ele. Estejam enraizados Nele, construam a sua vida sobre Ele e se tornem mais fortes na fé…” (Colossenses 2:6-7).

Por Robert J. Tamasy

Momentos

Amores ganhos, amores perdidos
A vida é cheio de altos e baixos
Um dia socorremos, outros somos socorridos
Você aprende, você ensina
A vida nos tira, a vida nos dá
Às vezes sozinhos , às vezes acompanhados
Tudo tem seu tempo…

André Filipe Barro